domingo, 4 de junho de 2006

Herbert - Scale

Apreciação final: 8/10
Edição: !K7, Maio 2006
Género: Electrónica/House Experimental/Pop-Soul
Sítio Oficial: www.matthewherbert.com








Nem chega a ser surpreendente que o britânico Herbert, ao oitavo disco de um percurso pautado por um nivelamento de qualidade assinalável, tenha optado por uma aproximação pop. Afinal, ele já aceitou desafios de todos os quadrantes. Contudo, esta redução a matrizes mais rudimentares e, por isso, mais previsíveis da composição, não faz de Scale um disco elementar. Mestre raro no domínio da plasticidade musical e do experimentalismo electrónico, como tão bem demonstrou no devaneio inesperado (mas incompleto) de Plat du Jour (2005), Herbert lançou mão dessa versatilidade para desenhar uma obra mais acessível, sem abdicar do uso de artefactos pouco ortodoxos na vez de instrumentos; a diferença maior acha-se no alargamento da presença vocal, com a voz sedosa de Dani Siciliano a adornar os feixes electrónicos inconfundíveis de Herbert. As canções - porque assim se podem baptizar - são ponderações dos argumentos prototípicos do útero pop e, nesse sentido, há um investimento menor no imprevisto, sem beliscar a estética habitual. Ao mesmo tempo, minimalista nos ingredientes instrumentais e exuberante na densidade dos temas, Scale é um produto dançável e festivo, cheio de meneios artísticos e que, aqui e ali, recupera a sonoridade da pop cativante de Ruby Blue, de Roisin Murphy, que Herbert produziu no ano transacto.

O mais fresco disco de Herbert é, como não podia deixar de ser, um exercício da melhor música concreta, no mesmo prisma bizarro que é o conceito usual do músico. Sofisticado e quente, Scale é o mais imediato álbum de Herbert mas também, por força da sedução e da consistência das excentricidades pop que o britânico ensaia, um dos melhores do seu percurso. A despeito de alguns insignificantes desvios estéreis, Scale continua a saga subversiva de Herbert. Haja calo auditivo para desfolhar as sucessivas camadas desta colecção de canções e perceber os ecos das múltiplas personalidades sonoras de Herbert e Scale mostra-se um sublime testemunho do eclectismo de alguém que alcança o extraordinário intento de construir um carimbo. Pessoal e intransmissível.

6 comentários:

membio disse...

também achei o album o mais acessível de todos e apesar de achar q herbert cola-se demasiado para o meu gosto, á sua sonoridade e técnica característica, não há duvidas q este um caminho diferente q herbert anda a percorrer, muito na linha de Roisin como disseste, para mim não tendo ainda calo auditivo suficiente, daria um sete a este albúm, mas tb pode ser o meu gosto q já começa a ficar algo saturado de herbert. enfim, vou ouvir umas quantas vezes mais :)

Spaceboy disse...

Não poderia concordar mais contigo, uma nova faceta de Herbert, cada vez mais surpreendente, mesmo quando explora uma pop aparentemente mais convencional. Grande músico e grande disco sem dúvida.

A.C. disse...

É verdade que Herbert está a chegar ao momento em que as fórmulas começam a ficar um pouco gastas e urge um ponto de viragem. Talvez este Scale seja o primeiro tomo dessa reorientação. Independentemente disso, o disco está tecnicamente irreprensível, é puro Herbert e isso é, por ora, quanto baste para fazer um álbum apelativo.

Anónimo disse...

Where did you find it? Interesting read Spyware nuker warez Infants blouses Spa cartridge c4335 web advertising http://www.nissan-dealer-2.info/chevrolet-blazer.html rear windows for peugeot 206 Ladyboys latinos Protonix use financial planning tualatin http://www.vwcrossfox.info/cakeshortskirtlongjacketmeaning.html Does zoloft have any effect on birth control Htmlcustomized polo shirt Triglycerides cholesterol hdl vldl ldl Penis lengthing devices 1998 mazda b2500 review chevrolet camaro part Advertising tooth tv whitening Adderall sniffing

Anónimo disse...

Best regards from NY! Dooney and bourke vintage handbag Viagra generique Meridia weight loss William arther discount wedding invitations Oral general surgery exam questions

Anónimo disse...

Very nice site! » »