segunda-feira, 1 de maio de 2006

Gnarls Barkley - St. Elsewhere

Apreciação final: 8/10
Edição: Downtown, Abril 2006
Género: Neo-Soul
Sítio Oficial: www.gnarlsbarkley.com








Chegado às escaparates no meio da vaga de expectativas elevadas que o single "Crazy" gerou, o trabalho conjunto de dois dos nomes mais significativos da cena hip-hop internacional - DJ Danger Mouse (Gorillaz) e Cee-Lo Green - é, antes de mais, um disco de fórmulas soul. Contudo, as matrizes sonoras de St. Elsewhere não se fecham nos conceitos clássicos da soul, antes introduzem a electrónica com propriedade, buscam as cadências de outros ritmos (hip-hop ou funk) e acrescentam um quinhão precioso de psicadelismo. St. Elsewhere é um oferecimento pouco vulgar, um álbum cheio de groove cuja única concessão é à esquizofrenia de géneros, com o mérito de camuflar a volubilidade de estilo com o tal disfarce neo-soul que a sublime voz de Cee-Lo propicia e a produção moderna de Danger Mouse cauciona. A combinação dos intérpretes é simbiótica, conjugando um certo travo retro no formalismo vocal de Cee-Lo com uma estupenda panóplia de recursos sonoros sofisticados.

St. Elsewhere é um disco de canções de vários temperos e dimensões, de múltiplas minudências encobertas que apenas se destapam na repetição das audições. A monotonia não mora aqui, o ensaio musical de Cee-Lo e Danger Mouse é uma experiência mutável ao minuto, versátil ao ponto de fundir uma charanga pop em festa, as regras desalinhadas do hip-hop, o alento soul digno da Motown e os delírios da electrónica recente. Com tão gordo caldeirão de substâncias, é natural que salte o parafuso à ínsigne dupla de intérpretes e se desproporcione uma ou outra ideia. Mas, com um álbum assim firme e destemido, perdoam-se-lhes os breves desmandos. Porque o que apetece mesmo é descobrir todas as arestas deste St. Elsewhere. E reconhecer que se trata de um dos mais verticais exercícios da soul moderna dos últimos tempos.

4 comentários:

Spaceboy disse...

Ando completamente viciado no disco! É fenomenal mesmo, o «Crazy» é um single genial e canções como «Boogie Monster» ou «Just A Thought» são inesqueciveis. Mais um excelente trabalho vindo da mente de DangerMouse.

shoplifter disse...

Fabuloso! Genial! Depois de ouvir repetidas vezes 'Crazy' na Antena 3, apenas a achei uma canção 'engraçada'. Mas agora, depois de ouvir o álbum na íntegra, estou definitavamente rendido.

membio disse...

é realmente um excelente trabalho, uma pop distorcida com elementos de hip-hop que convence e faz-me lembrar outras bandas como os flaming lips e o beck que tb distorcem um universo que nos parece familiar de alguma forma, mas encontra-se algo alienizado.

Kraak/Peixinho disse...

Pois para mim, tem sido um pouco indiferente... Como já tinha afirmado por aí, só me lembro do Jamiroquai quando oiço o single.